sábado, 12 de março de 2016

Assessoria Jadilson Silva

Publique seu livro conosco ....
Nós preparamos todo o seu material....
Revisão - ortográfica e teológica.

Com a editora você terá.
Diagramação. Brinde
Capa. Brinde
Código ISBN - Registro...

O código ISBN só será Brinde a partir de 100 unidades de livros

Trabalhamos com grandes e pequenas tiragens.... de 50 a 100 em diante.....

Ficou interessado? entre em contato conosco.... nos números acima .......

ASSESSORIA JADILSON SILVA ......
AGRADECE!!!!!!!!!!




domingo, 7 de fevereiro de 2016

Jesus o nome que manifesta os sinais.....

    Todos os sinais declarados por Jesus têm o dever de serem cumpridos em nossas vidas, exceto se alguém não crer. Se alguém acredita que não pode repreender um demônio, orar em línguas, impor as mãos sobre enfermos e estes serem curados, então nada do que está escrito ou mesmo declarado por Jesus acontecerá. 
    Os sinais só serão evidentes na vida daqueles que creem, caso contrário, será perda de tempo. 

extraído do livro.
JESUS O NOME QUE MANIFESTA OS SINAIS
Pr Jadilson Silva.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

CANTOR JADSON CAVALCANTE......


BREVE LANÇAMENTO !!!!!!!!!!!!!

LIVRO :
REDESCOBRINDO A ARMADURA DE DEUS
UM ABORDAGEM BÍBLICA SOBRE A BATALHA ESPIRITUAL

AUTOR : PR JADILSON SILVA
FAZENDO MISSÕES NA UNÇÃO DO ESPÍRITO.

LIVROS DO MESMO AUTOR

 1° REDESCOBRINDO A AUTORIDADE DO CRENTE
 2° DECLARANDO A PALAVRA
 3° JESUS O NOME QUE MANIFESTA OS SINAIS.

ADQUIRINDO ESSES MATERIAIS VOCÊ ESTÁ NOS AJUDANDO A DA PROSSEGUIMENTO AO IDE DE CRISTO. MC 16:15

NOS AJUDE
DEPOSITE SUA OFERTA DE AMOR...........

CONTATO: ZAP 98 8704 1717......

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Divulga escritor



http://m.divulgaescritor.com/products/pr-jadilson-cavalcante-silva-entrevistado/

domingo, 6 de dezembro de 2015

O QUE É SER UM PREGADOR HOJE?

O QUE É SER UM PREGADOR HOJE?

Nunca, em todas as eras da igreja, existiram tantos "pregadores" como no século que vivemos.
       Percebemos as igrejas e eventos hiperlotados e “grandes oradores” fazendo uso da sua oportunidade, tendo como “base” a Bíblia Sagrada.
         Contudo o conceito de uma pregação genuinamente bíblica tem sido alterado e os propósitos de ser um pregador na atualidade tem sido completamente oposto ao projeto de Deus para os seus filhos.
Vejamos como o conceito de pregação foi sofrendo uma metamorfose ao longo dos tempos:
1 – A Pregação Genuinamente Bíblica
             Antes de ascender aos céus, o Bom Mestre nos deu algumas ordens e todas elas com o mesmo propósito: “Ide por todo o mundo e fazei discípulos” (Mt 28.19) “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Mc 16.15).
            Cristo nos deu a missão de anunciarmos a sua mensagem e somos tão privilegiados por essa tarefa pois até mesmo os anjos a desejaram, mas o Senhor reservou somente aos homens (i Pe 1.12).
            Percebe-se que a Mensagem do evangelho de Cristo é para todos os homens e povos, independente de classe, cor, credo, enfermidade... a todos deve ser anunciada a mensagem de Salvação.
            Tal verdade pode ser observada na pessoa de Jesus, nosso maior exemplo, pois sendo Deus humilhou-se a si mesmo (Fp 2.9) e estando entre nós nos deu uma grande lição de humildade, pois andou entre os mais simples de sua época anunciando a mensagem do Pai.
            Agora surge a pergunta: Quanto Cristo recebia por anunciar sua mensagem?
            O maior salário de Cristo era ver os pecadores voltados para o arrependimento e tendo sua vida completamente mudada como aconteceu com Zaqueu (Lc 19).
            A mensagem de Cristo não era vazia, mas trazia sobre si vida e evidências de que Deus era com ele, pois aonde ele chegava alguma coisa acontecia.
            Entendemos que o legado de mensagem deixado por Cristo implicava em:
1 – Não vender a Palavra
2 – Estar no meio dos necessitados
3 – Salvar vidas e lutar pela transformação delas
4 – Ter evidência de que Deus é com ele (sinais/ milagres)

2 – A Pregação na Idade Média

            Na Idade Média encontramos também alguns homens, que fazendo uso da Palavra se tornaram grandes pregadores e marcaram sua geração e cumpriram a Palavra como está registrado em Hebreus 11.33-38, “homens do qual o mundo não era digno”.
            Encontramos homens como Policarpo, discípulo do apóstolo João, grande anunciador da Mensagem de Cristo, que foi condenado à fogueira por negar a sua fé em Cristo e antes que as chamas fossem acesas, numa última tentativa de fazê-lo negar a fé, ele disse: “Há oitenta e seis anos tudo ele tem me dado, como poderei agora nega-lo”. Após a sua morte o século II nunca mais foi o mesmo, pois a chama da mensagem deixada por este homem ainda fala aos nossos corações.
            Homens como Jônatas Edwards, que trouxe um grande avivamento à Europa no século XVIII e transformou muitas vidas através de sua famosa pregação: Pecadores nas mãos de um Deus irado.
            Vale a pena ressaltar Jorge Whitefield, o grande pregador dos cultos ao Ar livre que atraía mais de 100 mil homens e mulheres, num período onde os veículos midiáticos eram inexistente.
            Não queria ser denominado de um grande pregador, mas ele mesmo se considerava um “peregrino” errante no mundo procurando almas.
            Não poderia deixar de citar João Paton, que viveu entre os séculos XIX e XX anunciando a mensagem de Cristo aos canibais da Novas Hébridas, conhecida como Sangue de Mártires, pois os missionários que para lá iam eram mortos e comidos pelos índios antropófagos.
            Poderíamos citar muitos como Charles Finney, João Wesley, Dwigh Lyman Moody, Charles Spurgeon...
            Uma coisa comum entre esses verdadeiros pregadores era o seu compromisso com as almas e com a transmissão da genuína Palavra. Não visavam lucro, fama, posições, regalias e ostentações, mas anunciar a Jesus aos que não o conhecia, mesmo que custasse suas próprias vidas, seu compromisso estava selado.

3 – A Pregação em meados do século XX

            Em meados do século XX (de 1901 – 2001) o conceito de pregação ainda se encontrava de acordo com os preceitos Bíblicos, pois a evangelização e missão eram marcantes em todas as ocasiões.
            Um grande evangelista, ainda vivo, denominado de o maior pregador do século XX possuía uma única mensagem: “A salvação para todos”. Seu nome é Billy Graham um homem que pregou para tantas pessoas em quase todos os países e nos períodos de revoluções e grandes guerras, sendo também conselheiro de grandes presidentes americanos.
            Talvez você pense que a mensagem que ele pregava era cheia de intelectualidade com citações das línguas originais da Bíblia, referências históricas, arqueológicas... entretanto eram as mensagens mais simples que já pude ouvir, contudo as mesmas arrebataram e fizeram muitas vidas aceitarem a Cristo.
            É inúmera as pessoas que foram alcançadas por Jesus através de sua pregação.
            Nesse mesmo período surgiram os tele-evangelistas, como Jimmy Swaggart que transmitia uma mensagem de evangelização.
            Outro fator importantíssimo é que, além de ganharem almas para Cristo, pregavam severamente contra o pecado e anunciavam com veemência a volta do nosso Senhor.
            Esta também foi à época dos grandes milagres, curas e libertações, onde as igrejas eram verdadeiras Casas de Oração e com isso o Senhor realizava seus grandes e poderosos milagres, libertava vidas e revelava coisas ocultas e escondidas (Jr 33.3b).
           Lamentavelmente a igreja foi perdendo essa essência e o que se tem hoje é somente reflexo do que aconteceu no passado, mas ainda existem alguns remanescente que preservam a sã doutrina.

4 – A Pregação na atualidade

            Como foi dito no início deste artigo, nunca existiram tantos “pregadores” como na atualidade, todavia verdadeiros pregadores tem sido difícil de encontrar.
            No tempo hodierno o avanço da tecnologia favoreceu muito a propaganda do ser cristão, e o conceito original de pregar (ganhar almas, curar, ensinar, libertar vidas, vida de oração...) está completamente deturpado por uma série de fatores.
            Inicio esta última parte fazendo a seguinte pergunta: “O que é ser um pregador na atualidade?”.
            Automaticamente virá em nossa mente as seguintes respostas:

1 – Pregar em vários congressos e catedrais
2 – Ter vários DVDs, CDs e livros lançados
3 – Estar sempre na mídia
4 – Andar de carrão e viver entre os magnatas
5 – Pertencer a uma grande igreja...

            Minto ou falo a verdade? Não foi isso que você pensou?      
            Agora me responda se, diante de tudo o que você leu esse conceito está completamente deturpado.
            É tempo de revermos nossos conceitos.
            Vejamos alguns princípios da pregação na atualidade:

1 – A questão do estrelato – Quando queremos brilhar mais que Cristo

            Um dia João Batista, precursor do Messias disse: “O importante é que ele cresça e eu diminua” ( ). Mostrando a sua condição de inferioridade diante de do Senhor e a importância dele aparecer e brilhar através de nossas vidas. Até mesmo no batismo do mestre ele reconheceu quem era maior.
            Nesse nosso tempo todos os pregadores querem ser estrelas, já percebeu isso.
            O camarada dá a primeira saudação de um minuto na igreja e já quer gravar um DVD e cobrar para pregar.
            Homens que lutam, se humilham, passam fome para estar num congresso e apelar para pregar e tirar foto com um famoso e postar dizendo que são amigos particulares.
            Homens mentirosos e fraudulentos que vendem uma propaganda de grandiosidade, mas na verdade não tem nem endereço e moral em sua cidade.
            Vejo tantos pregadores brigando para estar ministrando num congresso, derrubando e levantando falso contra outros, para que ninguém tome seu lugar, pois quem tem que brilhar é ele. E caso visitem sua igreja e não recebem oportunidade, falam mal e praguejam o pastor, a dirigente... pois não lhe deram oportunidade.
            Quando gravam um DVD se auto intitulam conferencistas (sem se quer terem pregado numa conferência), pastores, evangelistas... não seguindo a linha da humildade rumo a exaltação de Deus em seu tempo ( I Pe 5.6).
             Lembro-me de um pregador que colocava em seu material o título de Diácono e uma certa feita lhe perguntaram se ele não tinha vergonha de colocar aquele cargo. Nunca ele foi tão honrado, como quando era diácono.
            Que a soberba da vida não tenha vez em nossos corações e que reconheçamos que quem deve e tem que brilhar em nossas vidas é Cristo.

2 – A sedução do dinheiro fácil – Quando a pregação se torna um negócio

            O maior perigo da pregação atual é deixar que a Palavra de Deus se torne um negócio.
            Esse tem sido o erro de muitos pregadores que na euforia de pregar, acabam entrando por este caminho e passam a vender a mensagem de Deus seduzido pelas ofertas oferecidas.
            O que tem acontecido muito são pregadores que entram por este caminho, pois só pregam se forem pagos ou se venderem seus materiais, caso contrário, não vão.
            Homens casados, pais de famílias que abandonam seu emprego e passam a “VIVER DA OBRA” e se intitulam “pregadores itinerantes”.
            Tal conceito está completamente fora do contexto original, pois quando entram por este caminho acabam esfolando a igreja, tirando dela até o que não possuem para sanarem suas dívidas.
            Grande parte dos que “vivem da obra” estão como nome comprometido na praça, nos programas de proteção de crédito, o casamento também está por um fio, pois tais pregadores ficam dias e até meses (já vi caso de anos) fazendo a obra e a esposa e filhos na prova.
            O que me chama a atenção é que só “fazem a obra”, ou seja pregam, somente para crentes, não ganham almas, não jejuam, não pagam preço, só engordam, mentem, enchem o bolso e partem para outra igreja para novamente “fazer a obra”.
            Estive conversando com um amigo pregador e falávamos sobre pregação, mas o centro do assunto foi o financeiro.
            Já viu alguns desses pregadores conversando? É assim:

    - E aí profeta como você está?
    - Estou bem
    - Pregando muito?
    - Bastante, preguei num congresso e quebrei tudo! (coitado do pastor que convidou!)
    - Te abençoaram lá?
    - Sim, saí com R$ 1.000,00 de oferta e vendi R$ 3.000,00 de material, fiquei num belo de um hotel, fui e voltei de avião e abri mais 5 agendas.
     - Benção, me coloca nessa fita aí que eu te indico para uns pastores aqui que são abençoadores também. Você pregando aqui 5 dias não sai com menos de R$ 5.000,00 de oferta, fora os materiais.
     - Sério? Vou passar um rádio aqui e te ligo já.

          Essa é a realidade da pregação atual. Satanás levantou uma geração de mercenários que só querem se alimentar da gordura das ovelhas.
          São homens profissionais em tirar dinheiro do povo, cuja oferta da noite vai para o seu bolso ou é dividida com o pastor local.
          Alguns tem até máquinas de cartão para que a oferta seja realizada.
          Outros estendem um grande lençol e o povo deposita ali dinheiro, relógio, celular, cheques, alianças e outros objetos de valor.
          Uma questão que é uma aberração é o fato de muitos até pagarem para pregar em determinados congressos que lhe dará uma proporção na mídia dantes não alcançada.
          O pior disso são as lideranças que os convidam, principalmente para congresso de missão, onde o pregador e o cantor saem com R$ 2.000,00 cada e o missionário no campo sem um pão para comer.
          Vivemos uma geração hipócrita, que honra a Deus somente com lábios, mas o coração está longe dele e perto de mamon (Mt 15.8,9; Lc 16.13).

3 – O afastamento da verdade – Quando nos distanciamos de Deus

            Quando tais pregadores se enveredam por este caminho tenebroso, a primeira consequência será o afastamento da verdade.
            Mas que verdade é essa? A verdade da Palavra de Deus que nos ensina a ser diferentes.
            Lamentavelmente muitos pregadores até começam bem, mas não resistem as tentações desse ambiente e não são mais diferentes, mas participantes. O profeta menor Malaquias já nos advertiu acerca disso quando disse: “E vereis a diferença entre o que serve a Deus e o que não serve” (3.18).
            Muitos pregadores que pregavam a verdade, pois tinham compromisso com ela, se enveredaram por outros caminhos. E se o tal não está na verdade, está na mentira, e se está na mentira está no diabo que é o pai da mentira.
            Mas você está sendo muito duro, pastor, digo que não, pois a Bíblia nos afirma que “aquele que está em Cristo nova criatura é...” (II Co 5.17).
            Quando o sujeito se afasta da verdade Deus se afasta dele e o que resta é alguém vazio que se baseia na prática, pois aprendeu a pregar.
            Muitos pregadores que antes eram inflamados pelo poder da palavra, se tornaram meros animadores de plateia não levando uma mensagem de transformação.
             Porque eles não pregam a verdade, pois isso não enche igreja e não massageia o ego das pessoas que estão ali para ouvirem o que querem, não o que Deus tem para falar.
             Bem que o apóstolo João escreveu a mando de Cristo, e esta mensagem foi para a igreja:
            “Quem tem ouvido ouça, o que o Espírito diz ás igrejas” (Apocalipse).

              Muitos não ouvem a mensagem de posição que Jesus emite, mas o apóstolo Paulo pediu ao jovem pregador Timóteo que este “pregasse a Palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta...”, e nos alertara ao declarar que:

“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande comichões nos ouvidos, amontoarão para si doutores segundo suas próprias concupiscências, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério”. (II Tm 3.3-5)

            Parece que esta palavra é para anos a frente de nós, mas tem se cumprido fielmente em nossos dias.
            Que o Senhor Jesus restaure a visão dos que se perderam e nos guarde e preserve dessas astutas ciladas do diabo

4 - A manipulação da Palavra – Quando adaptamos a Palavra

            Este é um perigo presente na vida de tais mensageiros: A manipulação da Palavra.
            Agora, porque manipulam a Palavra? Com certeza para fazê-la adaptar-se aos seus comportamentos, contudo a Palavra será sempre A PALAVRA DE DEUS imutável e permanente (Sl 90.1,2; Hb 13.8).
            As pregações se tornaram mensagens de auto ajuda, mensagens não reveladas e com o objetivo de alegrar o povo com o que querem ouvir e justificar suas práticas reprovadas por Deus, além de utilizá-la também para arrancar oferta do povo com valores estipulados fugindo do contexto original, onde a oferta é voluntária (II Co 9.7).
            São homens completamente descompromissados com a Palavra da Verdade que não buscam mais ao Senhor e nem suas revelações. Vivem pregando todos os dias e em nenhuma de suas mensagens o pecado é condenado, pois se pregar a verdade, a Palavra como espada de dois gumes corta também em sua vida. Por isso copiam mensagens da internet, de outros pregadores e a adaptam as suas condições e propósitos.

5 - A manipulação da massa – Quando nos tornamos animadores de plateia

            Essa é uma realidade em muitos pregadores.
            Como já afirmei mais acima, quando perdemos o compromisso a presença de Deus nos tornamos vazios e para mantermos nosso status e posição manipulamos a massa e nos tornamos meros animadores de plateia.
            Creio que você conheça pelo menos um pregador que é assim. É um tal de levanta, pula, balança seu irmão, diga isso para ele, jogue as mãos para cima, jogue a mão para trás expulsando o mal, pisa na cabeça do diabo...
            Você acha a pregação e o pregador super legais, mas a mensagem não trás mudança de vida nem de caráter. É o evangelho do oba-oba, sem compromisso.
            Pregadores que contam histórias no altar (lugar santo) só fazem o povo rir, só transmitem mensagens como: “Deus vai te levantar”, “Deus vai te usar” (mas não falam das condições para ser usado e levantado por Deus) , ”É hoje o dia da sua Bênção”...
            Quantas vezes já ouvimos isso e ainda vivenciamos a mesma provação que enfrentávamos quando ouvimos esta palavra.
            A mensagem genuinamente revelada é aquela que levamos para casa e nos alimentamos dela durante vários dias, é como a mensagem de Jesus à caminho de Emaús – a mensagem que ardia nos corações (Lc 24).

6 – O afastamento dos princípios morais – Quando nos comportamos como ímpios

           Nunca vivenciamos tantos escândalos como na atualidade.
           Com grande tristeza digo que os pregadores da linha pentecostal tem sido os que mais tem se afastados do princípios morais e tem se sustentado no nome que promoveram.
            Inúmeros pregadores tem caído vez após outra.
            O casamento, uma instituição divina, nunca foi tão banalizado como por tais pregoeiros que trocam de esposa como se troca de roupa, ou a largam e vivem numa vida de fornicação terrível.
            Homens que se envolvem em práticas homossexuais (o que mais tem acontecido) e ainda tem o sacrilégio de subir no altar.
            Escândalos relacionados a envolvimentos com prostitutas, práticas pedófilas, corrupção financeira com desvio de oferta e até mesmo roubos.
            Já cantava o saudoso Jair Pires, que o homem sem Deus “é como uma folha seca caída no chão, que vai para onde o vento levar... pobre miserável só pensa em pecar”.

7 – Somente eu sou pregador - Quando a pregação se torna uma concorrência
           
           Fico as vezes imaginando a pessoa de Jesus entrando no templo de muitas igrejas hoje e assistindo um desses pregadores. Talvez ele teria a mesma sensação que teve no Getsêmani, de tanta agonia e ver que seu sacrifício para tais pregadores não valeu de nada.
            Nunca vi uma disputa tão grande como na área da pregação atual.
            A igreja vive um verdadeiro UFC da pregação, pois muitos pregadores se digladiam para derrubar o outro, com o objetivo de tomar o seu lugar e a sua honra.
            É bem comum pregadores levantarem falsos testemunhos de outros para que só ele tenha acesso aquele local. Fazem de tudo para subir pisando fortemente nos demais. E o ofendido em vez de cumprir a palavra de Romanos 12.14, 17, 18 age da mesma maneira e trás sérios constrangimentos e escândalos para obra de Deus, contudo seu fim já está determinado (Lc 17.1).
            O que me chama muito a atenção é o fato deles lutarem tanto por uma agenda ao ponto de derrubar o outro que, possivelmente se torna seu adversário, e não lutarem contra o diabo e suas potestades e disputarem entre si para ganhar uma pobre vida para Jesus.
            Uma certa feita presenciei uma cena desagradável onde um pregador disse para o outro:

      - Aí, não tem fulano?
      - Sim
      - Ele caiu!
      - Legal, menos um na concorrência!

           Devemos sair da hipocrisia de deixar que Cristo nos dê cada vez mais o seu coração e nos faça enxergar seus propósitos da a nossa vida.
            Devemos tirar os nossos olhos da fama e status descermos na humildade e olharmos para os perdidos e levá-los ao arrependimento. Devemos disputar para levamos vidas aos pés de Jesus.
            Que através deste artigo Deus abençoe ricamente a sua vida e ministério, lhe abrindo os olhos da verdade e lembrando que tudo isso é necessário que aconteça, mas disse que Jesus:

“Quando estas coisas começarem a acontecer, cobrai ânimo e levantai as vossas cabeças, porque a vossa libertação está próxima” (Lc 21, 28).

Pr. Daniel Aguiar
Postado no face pelo Pr Martinho Damião

sábado, 5 de dezembro de 2015