sábado, 29 de março de 2014

UM NOVO TIPO DE CRISTIANISMO. E W KENYON


Homens e mulheres de visão requerem um novo tipo de Cristianismo. Eles não desejam uma nova filosofia ou um novo conceito metafísico de Cristo, mas uma revelação da realidade que foi vista em Jesus quando de sua caminhada terrena. Temos olhado para trás procurando por essa revelação, mas ela não está no passado. A Igreja primitiva não tinha isso pelo qual os corações estão ansiando.
Você entende, a Igreja primitiva não tinha ainda a Revelação Paulina de Cristo, de Sua Substituição, do Corpo de Cristo, ou de Seu ministério à destra do Pai a nosso favor.
Eles haviam tido o contato dos três anos referentes à caminhada terrena de Cristo.
Eles eram Novas Criações. Haviam experimentado tudo o que Deus nos revela através de Paulo, mas não o entendiam. Sabiam acerca de Sua morte na cruz. Eles a haviam visto. Sabiam acerca da Sua ressurreição como sendo uma realidade. Tinham comido com Ele, andado com Ele, comunhão com Ele, depois de Sua ressurreição. Haviam-nO visto ascender ao céu. Estavam presentes no dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo veio à terra, e quando a Igreja nasceu.
Contudo, não sabiam que eram Novas Criações. Eles tinham evidências de primeira mão quanto a tudo o que havia ocorrido. Não sabiam que eram a justiça de Deus em Cristo. Tiveram experiências maravilhosas, mas não sabiam qual era a sua causa.
Eles não estavam andando pela fé então. Estavam andando por vista, pelo que ouviam e sentiam.
João disse: “O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo (à Palavra) da vida” (1 Jo 1:1)
A Igreja primitiva andava na esfera dos sentidos. Deus permitiu isso porque a Revelação mais ampla não havia ainda sido dada. A Revelação Paulina não chegou às mãos da Igreja senão no começo do segundo século.
O que é Esta Nova Coisa?
É o Novo Homem criado em Cristo Jesus, 2 Coríntios 5:17: “E, assim, se alguém está em Cristo, é Nova Criatura”.
Este novo homem será como Cristo, Efésios 2:10, “Pois somos feitura dEle, criados em Cristo Jesus”.     
Em sua vida de amor este novo homem traz a solução para o problema do homem. Ele trará Deus à terra novamente. Ele viverá e andará como Jesus vivia e andava entre os homens. Eis alguns fatos surpreendentes quanto a este homem da Nova Criação.
João 8:32 diz: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. O versículo 36 diz: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. Vocês saberão da realidade e essa realidade os libertará.
O que é esta realidade? É a resposta para o anseio do coração humano. É a coisa que o homem tem buscado ao longo das eras. Esta fome do coração nos deu todas as religiões humanas. Este Novo Homem que entra na plena consciência de seus direitos será livre.
Colossenses 1:9-12 introduz algumas verdades surpreendentes: “Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós”.
Ouça esta oração. É a oração que o Espírito faz por cada um de nós: “Que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual”. A palavra grega “epignosko”, que é traduzida como “conhecimento”, é mais do que simplesmente conhecimento. É um “conhecimento exato”, um “conhecimento perfeito”. É um conhecimento em toda sabedoria e revelação espiritual. A sabedoria espiritual não é um produto dos sentidos, pois o Conhecimento pelos Sentidos não pode perscrutá-la. Por exemplo, os primeiros três capítulos em Efésios são um exemplo do uso de “epignosko”. Eles descortinam o assunto para que possamos olhar para o exato propósito do coração de Deus Pai.       
Este conhecimento é um conhecimento de Sua vontade. Ele nunca desejou que fossemos brinquedos nas mãos do inimigo. Ele planejou que quando a igreja viesse a existir, ela fosse composta de Seus filhos e filhas – que fossem senhores sobre os demônios governantes sobre o mundo.
Eles deveriam governar sobre as leis da Natureza. Deveriam dominar sobre as leis da natureza como fez Jesus em Sua Caminhada terrena. Deveriam controlar os ventos e as ondas.
Deveriam ser senhores sobre a criação animal. A autoridade perdida no Jardim do Éden deveria lhes ser restaurada no Nome de Jesus.
Mas a Igreja não tem sabido nada a respeito disso. Foi-nos ensinado que somos pobres, vermes miseráveis do pó da terra, que precisamos ser controlados por Satanás, que precisamos viver vidas de pobreza e carência, e que somos por demais indignos para que nossas orações sejam respondidas.
Cultivaram em nós um senso de indignidade que nos privou da iniciativa espiritual e nos manteve num estado de escravidão ao medo, à ignorância e ao pecado. Não sabíamos que o problema do pecado havia sido resolvido.
O objetivo deste conhecimento é andar “de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado, frutificando em toda boa obra”.  
Jesus disse: “Eu sou a videira, vós, os ramos”. 
Somos os ramos de Cristo. Fazemos parte de Cristo. Somos um renovo de Cristo e Cristo é o fruto a ser produzido por nós. Ele não pode produzir frutos agora. Nós somos os ramos, assim devemos produzir fruto em toda boa obra.
Enquanto isso “estamos crescendo neste exato conhecimento do Pai”. Devemos ser “fortalecidos com toda Sua capacidade (poder), de acordo com a força de sua glória, em toda firmeza e toda longanimidade com alegria”.
Este é o auge! Isto está nos erguendo acima das circunstâncias, acima do domínio e poder de Satanás, e tornando-nos dominadores absolutos onde antes estávamos servindo tremulamente como escravos.
Temos a solução para isso em Colossenses 1:12: “Dando graças ao Pai, que nos deu a capacidade de desfrutar nossa parte na herança dos santos na luz” (Trad. Lit.)
Somos Redimidos
 “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados” Colossenses 1:13-14.
Fomos libertos da autoridade de Satanás. Satanás não tem mais direito de dominar sobre nós.
A Igreja nunca reconheceu isso, nunca soube disso. Aqui e ali algum indivíduo entrou na posse de sua herança, mas os soldados comuns da Igreja têm vivido sob a escravidão do medo, da dúvida e da supremacia de Satanás.
Não somente estamos libertos do “domínio de Satanás”, como também fomos “transladados para o reino do filho de Seu amor”.
Esta é a Nova Criação. É aqui que os filhos de Deus verdadeiramente “reinarão como reis no âmbito da vida por meio de Jesus Cristo nosso Senhor” Romanos 5:17 (Weymouth).
É em Cristo que temos nossa redenção, a remissão de tudo o que já tenhamos feito.
Fomos redimidos das mãos do inimigo. Fomos recriados. Recebemos a natureza e a Vida da Divindade. Chegamos à família de Deus, e como filhos e filhas estamos desfrutando da comunhão de nosso Pai.
Estamos exercitando nossos direitos e privilégios no Nome de Jesus. A doença e a enfermidade perderam o seu domínio. Dominamos sobre elas. A pobreza e a necessidade não mais nos desafiam. Conhecemos nosso Pai.
A Igreja tem sido dominada pelo Conhecimento pelos Sentidos que deu a ela um senso de indignidade.
Quantas vezes já não dissemos, “Se eu pudesse viver uma vida santa, uma vida pura; se eu pudesse viver uma vida como a de Jesus, eu teria a mesma capacidade e poder que Jesus tinha”. Como os homens por toda parte têm caçado homens santos que possam fazer as orações deles por eles! Os enfermos estão continuamente procurando alguém que possa fazer a oração da fé por eles, enquanto continuam vivendo na esfera da incredulidade. 
Eles não sabem que tão certamente como Nasceram de Novo, se tornaram Novas Criações e receberam a exata Natureza do Pai. Essa Natureza tornou seus espíritos sãos. Essa Natureza tornou-os Novas Criações.
O problema do pecado ficou resolvido para eles. Eles são agora a Justiça de Deus em Cristo. Eles podem permanecer na presença do Pai da forma que Jesus fez, mas não sabem disso. Eles podem ter suas orações respondidas como Jesus teve, mas eles não entendem isso.
Eles têm vivido na ignorância das coisas espirituais. Eles têm bastante Conhecimento que vem pelos Sentidos. Eles têm tudo o que nossas escolas, faculdades e universidades podem transmitir, contudo este Conhecimento pelos Sentidos não lhes revelou o que eles são em Cristo.
Eles não sabem que têm tanto direito de estar na presença do Pai como Jesus tinha, de forma a com toda ousadia poderem estar diante do Trono de Graça, sem vergonha e sem consciência de pecado.
Se soubessem destas coisas, o medo não mais os dominaria. Eles seriam senhores. Não mais se submeteriam ao domínio dos sentidos.
O Senhorio da Palavra
Eles admitiriam com alegria o Senhorio da Palavra. Se este conhecimento somente pudesse lhes ser concedido, eles passariam para a Esfera do Amor.
Eles começariam a viver uma Vida de Amor. Mas agora, eles têm medo disso.
Eles não sabem que Jesus trouxe um novo tipo de Amor que faz parte do próprio Deus. Deus é Amor, e este novo tipo de Amor nos foi concedido.
Este é o caráter do Cristianismo. Este novo tipo de Vida, e este novo tipo de Amor produzem um novo tipo de Justiça – uma justiça que não pode ser obtida por meio das obras, dos sacrifícios, da oração, ou por meio de qualquer outra coisa que o homem possa fazer.
É um dom que vem com a Nova Criação. Todo filho de Deus tem este dom.
Até que um homem saiba que ele é a justiça de Deus, ele nunca se aproveitará de seus privilégios. Sempre viverá em escravidão ao inimigo.
Mas no instante em que souber disso, ele chegará com ousadia na presença do Pai. Ele se sentirá em casa na Sala do Trono.
Quero que você note João 1:16: “Temos recebido da sua plenitude e graça sobre graça”. Esta Nova Criação é a plenitude de Deus como nos é ensinado em Efésios 1:23, “A qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas”. “Plenitude” significa o estado de estar completo, cheio.
A Natureza e a Vida de Cristo foram derramadas em nossos espíritos. No lugar em que estávamos vazios e tínhamos somente um vago anseio na vida, agora encontramos realidade.
Equipados por Deus
  Esta Nova Criação, este novo tipo de Cristianismo, está equipado por Deus para uma vida sobrenatural. Deus fornece o equipamento.
Em Efésios 6:11-12 Ele diz: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes”.
Nosso combate não um combate mental, nem físico. É um combate espiritual.
Nenhum combate espiritual é realizado por meio da autonegação física ou de uma batalha mental. Uma batalha espiritual não é ganha por meios físicos ou mentais, nem por nenhum tipo de obra que o homem possa fazer. 
A batalha já foi travada e vencida por Jesus.  Não temos que lutar nesta batalha.
Este é um Combate de Fé
Ganhamos nossa batalha pelo nosso reconhecimento de que ela já foi travada e vencida por Jesus, e aceitando aquilo que Jesus fez por nós.
Não temos de orar pedindo. Não temos que fazer esforço. Simplesmente olhamos para cima e dizemos, “Pai, a batalha já foi vencida”.
No combate da Fé, Deus faz tudo. Ele venceu Satanás e aniquilou o pecado. Ele levou nossas doenças, de forma que somente precisamos Lhe agradecer por isso e desfrutar disso.
Ficamos firmes nesse dia mau quando as tentações vêm como uma inundação, tendo cingido nossos lombos com esta Verdade ou Realidade.
Viemos a conhecer a realidade da obra terminada de Cristo. Nos revestimos com a couraça da justiça. Isto é, agimos pela justiça, usamos a mesma, e a confessamos.
Sabemos que somos a justiça de Deus nEle.  Este é um fato reconhecido. Sabemos o que somos nEle.
Sabemos que a justiça nos permite ficar na presença do Pai sem nenhum senso de culpa ou de inferioridade.
Nossos pés foram calçados com a preparação das Boas Novas da paz. Podemos correr agora com a mensagem da paz para o mundo. Podemos levar aos homens as boas novas.
Temos o escudo da fé que resiste todos os dardos inflamados do maligno.
As Forças Espirituais São Mais Fortes do que as Físicas
Deus é um espírito. Ele criou o homem. Assim Ele pode criar nova carne onde a doença a destruiu.
Deus criou este nosso mundo, encheu-o de rochas e de todos estes objetos físicos, através apenas da palavra da Fé.
Esta Palavra da Fé pode reconstruir tecidos destruídos em nossos corpos. Você pode entender que nosso combate não é contra as coisas físicas, mas contra as espirituais. Nossos inimigos são espíritos. As doenças que afligem os homens são espirituais. Quando nossas faculdades de raciocínio estão convencidas destas realidades, a doença é vencida. As enfermidades que afligem os homens são espirituais.
Nós somos senhores sobre estas coisas. Em Nome de Jesus reinamos como reis.
Tomamos “o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus”. O combate é um combate realizado com nossos lábios. Em nossos lábios está a Palavra de Deus, a Espada do Espírito.
Com essa Palavra vencemos a doença. Dizemos, “Doença, no Nome de Jesus Cristo, deixe de existir. Câncer, no Nome de Jesus seque e deixe de existir. Tuberculose, no Nome de Jesus, deixe este corpo”.
Somos senhores. Ele nos fez senhores. Ele nos fez governar sobre essas coisas como fez em Sua caminhada terrena.
“Com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos”.
2 Coríntios 3:5-6: “Não que, por nós mesmos, sejamos capazes de pensar alguma coisa, como se partisse de nós; pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus, o qual nos habilitou para sermos ministros de uma Nova Aliança”.
Ele nos deu Sua própria suficiência, Sua própria capacidade. A palavra “dunamis”, traduzida como “poder”, significa “capacidade” ou “habilidade”. Considere esta escritura como ilustração, “Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós”. Ela está de acordo com a capacidade (habilidade ou poder) de Deus que está operando dentro de nós. 
A maravilhosa capacidade de Deus está operando dentro de nós. Estamos equipados por Deus e com Deus. Temos Sua Palavra que criou o Universo. Temos Sua Palavra que pode matar ou fazer viver. Temos o Nome de Jesus; e toda a autoridade do céu está por trás dela e investida nela. Temos a procuração para usar esse Nome. Temos o grande e poderoso Espírito Santo, que levantou Jesus dentre os mortos, habitando em nós. Temos a mesma capacidade operando dentro de nós que atuou em Cristo em Sua caminhada terrena.
Leia com cuidado Efésios 1:19-23: “Qual a suprema grandeza do Seu poder (habilidade ou capacidade) para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder; o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos”.
Nosso equipamento é espiritual, e as coisas espirituais são mais poderosas do que as físicas.
A Igreja não sabe que tem a Sua capacidade. A Igreja ignora completamente seu lugar no propósito de Deus.
As guerras são criadas pelos demônios, executadas pela inspiração de demônios; mas a Igreja é senhora sobre os demônios. 1 João 4:4(ARC): “Filhinhos, sois de Deus e já os tendes vencido, porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo”. Como temos nos aproveitado tão pouco disso!
O poderoso Espírito Santo, que renovou a face da terra, que curou os enfermos e levantou os mortos, que apaziguou o mar através de Cristo, é o mesmo Espírito Santo que possuímos hoje em dia. Ele não perdeu nada de sua capacidade.
O Pai tem tentado nos dizer que Este que está em nós é maior do que as forças demoníacas da terra. Ele diz, “Maior é o que está em vós do que o que está no mundo”. Vocês são senhores. São dominadores. Os demônios não podem governar sobre o mundo sem seu consentimento.
“Tenho lhe dado ‘toda autoridade’ sobre todo o poder do inimigo. Vá agora e exerça essa autoridade!”
1 Coríntios 1:30: “Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria”. Aqui Jesus é tornado para conosco sabedoria. É a sabedoria de Deus, não do homem. É a sabedoria que é maior que a sabedoria satânica.
Dois Tipos de Sabedoria
Há dois tipos de sabedoria de que fala a Palavra. Há uma sabedoria que vem de cima, e uma que é terrena, sensual, ou demoníaca.
Esta sabedoria de que estamos falando é a sabedoria que Jesus exerceu em Sua caminhada terrena. É a sabedoria que Jesus, o Pai e o Espírito Santo usaram na Criação. E nós temos acesso a ela.
Você pode ver que por esta razão podemos vencer o adversário? Você pode ver que não importa que planos ele fizer, nós somos superiores a ele? 
Tudo o que precisamos fazer é aprender o segredo de usar esta sabedoria. Temos confiado em advogados e médicos que não têm nenhuma outra coisa senão o Conhecimento que vem pelos Sentidos. Nós temos ignorado nosso direito a esta sabedoria suprema.
João 8:12 acrescenta mais luz a este assunto: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida”.  Isto significa Sabedoria Divina. Isto significa que não mais devemos andar em dúvida, medo, e incerteza. Andamos como Jesus fez, com passos firmes.
1 João 2:10,11: “Aquele que ama a seu irmão permanece na luz, e nele não há nenhum tropeço. Aquele, porém, que odeia a seu irmão está nas trevas, e anda nas trevas, e não sabe para onde vai, porque as trevas lhe cegaram os olhos.” É isto que a Vida Eterna faz em nós. Contemos isso para o mundo.

FIM

                                                                                                                                                

DOIS TIPOS DE CONHECIMENTO. E W. KENYON


Uma das recentes descobertas em nosso laboratório espiritual é que há dois tipos de conhecimento.
O conhecimento que nossas escolas, faculdades e universidades ensinam chegou até nós por intermédio dos cinco sentidos.
É seguro dizer que não há nenhum conhecimento da Química, Biologia, Metalurgia ou Mecânica, ou de qualquer outro campo de pesquisa que não tenha vindo até nós através dos cinco sentidos - visão, paladar, audição, olfato e tato.
Nossos corpos têm sido um laboratório de pesquisa ao longo dos tempos. Contudo, esse conhecimento é limitado. Não pode satisfazer o espírito humano. Não pode descobrir como a mente funciona no cérebro físico. Não pode encontrar Deus, nem descobrir qual é a origem da matéria, da vida, da força ou da criação.
Tudo o que você pode descobrir são as coisas que se podem ver, ouvir, saborear, cheirar ou sentir.
Chamamos a isso de “Conhecimento pelos Sentidos”.
Dessa forma, há outro tipo de conhecimento que veio até nós através da Revelação chamada Bíblia.
Este é o Conhecimento pela Revelação. Ele nos leva ao contato com o Criador. Ele explica o “porquê” da Criação, a razão para o homem, a natureza do homem e o objetivo definitivo para ele.
Ele lida com as coisas que os sentidos não podem descobrir ou saber sem a ajuda deste conhecimento da Revelação.
O triste fato é que o conhecimento pelos sentidos está preponderando na Igreja. Esta é uma organização espiritual, um corpo espiritual, que deve ser governada por meio do espírito em vez dos sentimentos.
Quando o conhecimento pelos sentidos conseguiu predominar na Igreja e em sua fonte de informações, a escola teológica, a Igreja cessou de ser um corpo espiritual e simplesmente se tornou um corpo de homens governados pelo conhecimento pelos sentidos.
Você pode perceber porque o conhecimento pelos sentidos não pode entender as coisas espirituais, vai negar os milagres, as respostas às orações e a divindade de Jesus, desacreditando em Sua Ressurreição e milagres.
Deve-se esperar que o conhecimento pelos sentidos negue o elemento milagroso porque não pode explicá-lo ou entendê-lo. Sua principal busca tem sido por realidade. O espírito humano anseia por ela.
A realidade não pode ser encontrada nos sentidos. Ela é descoberta somente pelo espírito. O conhecimento pelos sentidos tem despertado homens chamados filósofos, que estão procurando a realidade.
E um fato profundo, digno da consideração de todos, que o homem que realmente conhece a Jesus Cristo, que recebeu a Vida Eterna, nunca se voltará para a Filosofia. Se ele foi um filósofo, logo desiste disso, porque chegou à realidade em Cristo.
Jesus disse: “Eu sou o caminho, a realidade e a vida”. Jesus, então, é a resposta para toda verdadeira Filosofia.
Se você deseja estudar este assunto mais completamente, procure nosso livreto “Os Dois Tipos de Conhecimento.




terça-feira, 17 de dezembro de 2013

UM FELIZ ANO NOVO..................

DESEJO A TODOS OS MEU IRMÃOS E AMIGOS UM ANO NOVO CHEIO DE SUCESSO, ALEGRIA E BÊNÇÃOS DO SENHOR.............

quarta-feira, 10 de julho de 2013

JESUS,AQUELE QUE CURA

POR EW KENYON

 

        Se não fosse por esta coisa que chamamos consciência de pecado, teríamos fé. E se nós tivéssemos fé, obteríamos a nossa cura.

   Alguém diria: “Mas a Palavra não parece ser real para mim. Eu a leio e então digo: ‘Por suas feridas sou curado’, no entanto em minha mente ouço outra voz dizendo: ‘Mas a dor ainda está aí’.
“Descubro, então, que estou continuamente dando dois testemunhos, um com os meus lábios e outro com o meu intelecto”.
Devemos compreender plenamente que não importa qual a posição que alguém detenha no céu, se não tiver fé, não lhe adiantará nada. Não importa quais são os privilégios de um homem, se a mão da fé estiver paralisada, ele não poderá se apoderar deles.
Enquanto ele for governado pela consciência de pecado, não terá nenhum senso de redenção. Ele estará sob condenação. Satanás o governará. Enquanto Satanás governa, a fé fica retraída e pouco desenvolvida.
Ao longo de toda a revelação paulina, desde Romanos até Hebreus, uma redenção completa é ensinada. Há uma perfeita redenção - Satanás foi vencido. Hebreus 2:14 diz: “E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também Ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo”.
Ele está despojado de sua autoridade. Em Apocalipse 1:18, Jesus diz triunfalmente: “Eu estive morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém! E tenho as chaves da morte e do inferno”.
Satanás tornou-se nada; sua habilidade foi paralisada, como diz Colossenses 2:15: “E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em Si mesmo”. Assim, Satanás não tem mais nenhum domínio sobre nós.
Romanos 6:14 diz: “O pecado não terá domínio sobre vós”. Se a redenção não nos aberta da consciência do pecado, ela não é melhor que o judaísmo. Se ela não pode nos libertar agora da condenação, Deus e Cristo falharam; Satanás se tornou o dominador.
Se a consciência de pecado domina, agir sobre a Palavra fica impossível. A fé se torna uma flor seca em que a consciência de pecado domina.
O problema da fé, então, é livrar-se da consciência de pecado. A Palavra é a única cura. Ela declara que nós estamos redimidos. Está escrito em Efésios 1:7: “Em quem temos a redenção pelo Seu sangue, a remissão das ofensas”. Se fomos redimidos, o domínio de Satanás está, então, quebrado e estamos livres.
Não somente uma redenção perfeita foi realizada, mas foi feita uma provisão para uma perfeita recriação. 2 Coríntios 5:17-18 diz: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. E tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo e nos deu o ministério da reconciliação”.
Há uma completa recriação e uma completa reconciliação. Se Deus nos recriou, não estamos mais debaixo da escravidão das coisas da velha criação. Se um homem foi recriado, é pela própria obra de Deus. Ele o fez através do Espírito Santo e de Sua própria Palavra.
Esta Nova Criação é efetuada pela comunicação da própria natureza de Deus. 2 Pedro 1:4 diz que nos tornamos participantes da natureza divina. Somos na verdade nascidos de cima. A velha natureza de pecado foi embora, e uma nova natureza, que é livre de condenação, tomou seu lugar.
Em Romanos 8:1,33 diz: “Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”. Fomos libertados da lei do pecado e da morte; “Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? Quem os condenará?” Deus nos justificou, ou nos declarou justos.
A palavra “justificar” significa “tornar justo ou reto”. A justiça ou retidão é a capacidade de estar na presença do Pai sem sentimento de culpa, pecado ou inferioridade. Ficamos ali como se o pecado nunca tivesse existido.
Se a redenção não significa isso, se a Nova Criação não nos fornece isso. Deus então terá falhado.
A Nova Criação precisa ser tão livre de pecado quanto Adão era antes de ter cometido pecado, caso contrário. Deus teria falhado em Sua obra redentora.
Alguém poderia dizer: “E quanto a 1 João 1:6, que diz: ‘Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós’?”.
Ele está falando de uma comunhão quebrada. Se um homem diz que tem comunhão com o Pai, quando na verdade está vivendo sob condenação, está contando uma mentira: “Se dissermos que temos comunhão com Ele e andarmos em trevas, mentimos e não praticamos a verdade”.
Todo homem que está vivendo numa comunhão quebrada está andando em trevas, como diz 1 João 1:9: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e Justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”. Se dissermos que não pecamos quando estamos vivendo fora da comunhão, estamos dizendo uma inverdade: “Se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo”.
Efésios 2:10 diz: “Somos feitura Sua”. Ele não somente nos fez novas criações, mas Ele nos fez justos. Está em Romanos 3:26: “Para que Ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus”. Isto declara que Ele se tornou a Justiça do homem que tem fé em Jesus como Salvador.
Se Deus se tornou nossa Justiça, temos uma posição legal aceitável em Sua presença. 1 Coríntios 1:30 nos diz que Ele foi feito para nós justiça. “Mas vós sois dEle, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção” .
Assim temos Deus como nossa justiça e Jesus como nossa justiça.
Romanos 4:25 (trad. lit.) diz: “Ele foi entregue por causa das nossas transgressões e ressuscitou porque nós fomos encontrados justos diante Dele.”
Romanos 5:1 diz: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo”; 2 Coríntios 3:21: “Àquele que não conheceu pecado, O fez pecado por nós; para que. Nele, fôssemos feitos justiça de Deus”. Ele não somente se torna a nossa justiça, mas agora também nos torna a Sua justiça por meio de um Novo Nascimento, uma recriação.
Estamos diante Dele reconciliados, sem condenação, em comunhão com Ele. Se a Escritura significa alguma coisa, significa exatamente o que diz.
O crente tem o direito legal de estar na presença do Pai isento de condenação. Se ele pode fazer isto, então agir sobre a Palavra é possível. Se é possível agir sobre a Palavra, tudo o que nos pertence em Cristo se torna imediatamente disponível.
Quando Jesus ressurgiu dentre os mortos, deixou atrás de Si um Satanás eternamente derrotado. Sempre pense sobre Satanás como aquele que foi eternamente derrotado.









“ESTES SINAIS”



“ESTES SINAIS”             

                                                                                        E W. KENYON

Logo que um homem crê, os seguintes sinais devem acompanhá-lo: “Em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão”.
A palavra “crente” significa “alguém que crê”.
Deus planejou que, tão logo um homem tenha nascido de novo, ele faça propaganda da nova criação, curando as pessoas doentes na presença de um mundo não salvo.
O ministério todo de Jesus foi um combate com as forças demoníacas. O mesmo é verdade no caso da Igreja.
Toda doença, enfermidade, dor, aflição e pecado é resultado do ódio de Satanás pela raça humana. “Em meu nome, expulsarão demônios”. Os crentes devem assumir o lugar de Jesus. Eles estão saindo no mundo e agindo por meio Dele.
1 João 3:8 diz que Jesus veio para destruir as obras do diabo. Assim devemos agir hoje por meio dEle.
João 14:12-14 diz: “Fará as obras que Eu faço e as fará maiores do que estas, porque Eu vou para meu Pai. E tudo quanto pedirdes em Meu Nome, Eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em Meu Nome, Eu o farei”.
Jesus não está falando aqui de oração. Está falando de expulsar os demônios, curar os enfermos e realizar milagres.
“Tudo quanto pedirdes (reclamardes) em Meu Nome...” Esta palavra “pedir” significa “reivindicar, exigir, reclamar”. Você está reivindicando como Pedro fez lá na porta formosa aquela manhã quando disse àquele homem impotente: “Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda”?
O homem foi instantaneamente curado. Ele não era um crente. Não havia aceitado a Cristo. É provável que as grandes multidões que eram curadas, como registrado em Atos 5, compunham-se de pessoas não salvas. A maioria das curas no livro de Atos eram curas de pessoas enfermas que não tinham ainda se tornado crentes.
Leia cuidadosamente Atos 5:12-16. Praticamente todas estas pessoas eram judeus não salvos.
Em Atos 8:8-10 o poder de Deus é de novo revelado. Todos estes milagres realizados no nome de Jesus eram para o mundo não salvo.
A igreja perdeu seu principal método de fazer propaganda. O método de Deus fazer propaganda era através dos milagres. Um vasto ministério de cura divina, hoje em dia, é desenvolvido junto aos não salvos.
Cristo foi um milagre. O Cristianismo é Cristo vivendo nos homens hoje em dia. A encarnação e o novo nascimento são ambos de Deus. Ambos são milagres.
A oração respondida é um milagre. Quando a oração não produz milagres não passa de palavras vazias. Um milagre é Deus agindo dentro do âmbito dos sentidos. Não condene a si mesmo por suas dúvidas. Cuide delas procurando conhecer seu Pai.
A confissão sempre vai à frente da cura. Não observe os sintomas - observe a Palavra e esteja certo de que sua confissão é ousada e vigorosa.
Não ouça as pessoas. Aja sobre a Palavra. Seja praticante dela, pois Ela é Deus falando. Você está curado. A Palavra diz que você está. Não ouça os sentimentos. Dê à Palavra o seu lugar. Deus não pode mentir.